Feliz 2021 (2)
Postado em 01-04-2021 às 21:05 por agentecidadao

 

Este ano difícil de 2020, tomado por uma crise sem precedentes, mortes incontáveis e um grande rombo nas economias, foi também, para alguns, um mediador de grandes aprendizados e mudanças importantes na forma de enxergar o “viver em sociedade”. 

Durante esse ano, praticamos o olhar ao próximo, questionando e tornando mais sólido o significado da palavra “empatia”. 

Empatia não é se colocar no lugar do outro apenas quando o enxergamos fisicamente, é entender as dívidas sociais históricas, negligenciadas pelo Estado, que construíram, como num quebra-cabeça, as formas com as quais lemos e vivemos individualmente a sociedade, e elas precisam ser reparadas.

Esse ano, especialmente em países subdesenvolvidos como o Brasil, repleto de pessoas em extrema vulnerabilidade, em estado precário de moradia, saúde, alimentação e trabalho, a desigualdade se tornou visível para quem ainda não a enxergava. 

Com hospitais públicos cheios, sem instrumentos e verba para mitigar as consequências da pandemia, além da impossibilidade de impor o distanciamento social em favelas e bairros de baixa renda, somado ao desemprego, se tornou clara a diferença dos efeitos da Covid-19 nas diferentes classes sociais.

Nessa passagem de ano, desejamos e devemos pressionar as instituições governamentais e não governamentais, para no futuro, termos uma sociedade mais igualitária, menos sofrida, marginalizada e polarizada, e mais empática e esperançosa, guiada pelo amor ao próximo. 

Em 2021 vamos continuar a praticar a cidadania, e contamos com vocês.