2
Postado em 01-04-2021 às 21:03 por agentecidadao

 

Natal, o dia do nascimento de algo ou alguém – passagem. 

Sendo católicos ou não, a celebração do nascimento no dia 25 e na sua véspera, 24, acontece há no mínimo 1.600 anos, pelo menos de forma semelhante à qual comemoramos nos dias de hoje. 

Transmitindo magia e encantamento, o Natal como uma tradição milenar na qual costumamos estar perto de quem amamos e presentear alguns expressando carinho e afeto, esse ano, tomou um rumo diferente. Com a pandemia do Covid19, para o bem maior de todos, precisamos ficar fisicamente afastados, mas sabendo que a presença de corpo, mesmo que fale muito sobre o Natal, pouco importa quando se tem as trocas da alma. 

Estarmos longe nos mostra o quanto queremos estar perto, o olho no olho e o toque fazem falta quando se carece de calor humano. Nesse ano, vamos celebrar o amor. O amor que transborda e sobrepassa qualquer contato físico, o amor pela lembrança, pela memória do que já se viveu e de quem se foi, o amor pelo que virá e por quem virá, e acima de tudo, o amor pelo agora.